Home / Empreendedorismo /

Nómadas digitais atraídos por Portugal: quais os principais motivos?

[rev_slider mm]

Nómadas digitais atraídos por Portugal: quais os principais motivos?

São cada vez mais as pessoas que adotam rotinas de trabalho remoto ou num regime híbrido combinando dias de trabalho em casa e no escritório.

Com o aumento do trabalho remoto, surge a possibilidade de trabalhar a partir de qualquer lugar e as possibilidades são muitas.

No entanto, grande parte dos nómadas digitais procuram um local que alie segurança, bem-estar, cultura e um custo de vida reduzido.

Não é de admirar que Portugal surja em vários rankings como o melhor país para viver e trabalhar remotamente, uma vez que para além de ser um país famoso pelos seus índices de segurança, é também um país com um ótimo clima, gastronomia e conhecido pelo seu custo de vida abaixo da média europeia.

Custo de vida reduzido

Como anteriormente mencionado, Portugal é um dos países europeus com o custo de vida mais reduzido.

Temos um poder de compra menor face a países como França, Espanha, Alemanha, etc.e, portanto, esse fator torna-se um dos principais atrativos para quem vem destes, ou de outros países.

Também, o facto de estarmos inseridos na Europa, com a livre circulação de pessoas e bens, facilita a adaptação, reduzindo as burocracias.

Portugal: melhor país para trabalhar remotamente

Apesar de Portugal já ser um destino de eleição para nómadas digitais, foi este ano, eleito pela Momondo como o melhor país do mundo para trabalhar e viajar ao mesmo tempo.

Segundo a Momondo: “nos últimos dois anos, descobrimos que trabalhar em casa pode ser muito produtivo. Ao mesmo tempo, ver a mesma parede e a mesma vista todos os dias, sem ter ninguém a não ser o cão com quem trocar ideias… pode ser pouco inspirador”, por isso elaboraram um índice que classifica 111 países em função das condições de trabalho remoto e oportunidades de experiências de viagem.

Com 22 fatores divididos em seis categorias:

  • preços locais (como preço do arrendamento, transportes, restaurantes),
  • saúde e segurança (estabilidade política, direitos LGBTI+, poluição),
  • trabalho remoto (velocidade da internet, espaços de coworking,
  • visto de trabalho remoto),
  • vida social (vida noturna, cultura),
  • clima (temperatura, precipitação)
  • viagens (preços de hotel, aluguer de carros, combustíveis, etc.),

O índice ajuda a perceber em que países seria mais fácil trabalhar e aproveitar o tempo livre.

 

A Momondo justifica: “Portugal ficou classificado como o melhor país do mundo para o trabalho remoto. Algumas das razões que o explicam são o facto de Portugal ter um visto de trabalho remoto, o nível elevado de inglês de muitos habitantes, a sua estabilidade política elevada com ausência de violência, ótimo clima e baixa poluição do ar”.

Internet rápida e barata

Outro dos motivos que faz com que Portugal atraia muitos nómadas digitais é o facto dos nossos serviços de internet serem rápidos e baratos, para além de estáveis.

No que toca aos preços da internet, estes são preços baixos comparados com os que se pratica na Europa, e na maioria dos casos não existe qualquer limite de tráfego.

O coworking em Portugal

Com Portugal a assumir um papel cada vez mais importante no universo dos nómadas digitais, surge a procura de espaços de coworking.

O que é certo é que Portugal já se encontra entre os 20 países do mundo com maior capacidade de absorção, com cerca de 300 espaços.

Divididos de norte a sul do País, a norte, no Porto, a oferta começa a crescer, atualmente são 37 os espaços de coworking na região.

No interior também há uma forte dinâmica de novos investimentos que podem, ou não, vir a ter um papel importante no combate à desertificação, mas é no Sul que encontramos grande parte da oferta, com cerca de 115 espaços, como o espaço de cowork em Lisboa do LACSinaugurado em 2018, contando hoje com mais dois espaços: nos Anjos (Lisboa) e em Cascais.

Estes espaços, oferecem uma variedade de opções, desde espaços para eventos, cafetaria, bar & lounge, galerias de arte, eventos de networking, aulas de yoga, etc., e à medida que mais empresas adotam práticas de trabalho flexíveis, podemos esperar que a capacidade e a oferta continuem a crescer ao longo do tempo.

 

Foto de capa de Viktor Ronnert / Shutterstock.com

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.