Home / Redes Sociais /

Facebook: os mecanismos da rede social para combater spam

spam

Facebook: os mecanismos da rede social para combater spam

Infelizmente,  o spam – acrónimo para Sending and Posting Advertisement in Mass – é um problema do meio digital que afeta qualquer site, blog… e até mesmo rede social.

Para quem não sabe, no Facebook o spam envolve contactar pessoas com conteúdo ou pedidos indesejados. Isto inclui enviar mensagens em massa, publicar excessivamente ligações ou imagens nas Cronologias de outras pessoas e enviar pedidos de amizade a pessoas que não conhece pessoalmente.

Por vezes, o spam é espalhado pelas pessoas que clicam em ligações inválidas ou que instalam software malicioso. Noutras ocasiões, os responsáveis por fraudes obtêm acesso às contas do Facebook das pessoas, que são depois utilizadas para enviar spam.

No Facebook, existem equipas dedicadas que têm como objetivo proteger as contas das pessoas e lidar com o cibercrime. Isto inclui fraudes onde as informações de acesso das pessoas são recolhidas através de sites de phishing e, desta forma, o acesso às suas contas é feito sem permissão.

Ao longo dos anos, foram criadas no Facebook várias ferramentas para ajudar a impedir e a remover spam. Algumas destas ferramentas impedem que ligações maliciosas sejam apresentadas às pessoas, enquanto outras ajudam as pessoas a limpar as suas contas depois de um ataque. O Facebook também se aliou a alguns parceiros de antivírus para ajudar neste processo.

Além disso, o Facebook pede a colaboração das pessoas para denunciarem spam sempre que se depararem com estas situações. Quando recebem as denúncias, estas são analisadas e os conteúdos são removidos caso sejam spam.

As mudanças no Facebook que aí vem para combater o spam

Ao encontro de todas as políticas anti-spam do Facebook, a rede social de Mark Zuckerberg anunciou em junho de 2017 que está a modificar o algoritmo por detrás do seu News Feed para limitar o alcance de pessoas que frequentemente partilham links para histórias destinadas a atrair cliques, sites sensacionalistas e informações falsas.

O movimento é mais um passo da maior rede social do mundo para eliminar spams, uma batalha que ganhou urgência após a ampla disseminação de notícias falsas durante a campanha presidencial dos Estados Unidos.

A empresa disse que a mudança vai reduzir a influência de um “pequeno grupo” de pessoas que partilham grande quantidade de publicações de baixa qualidade diariamente. Cerca de apenas 0,1 por cento dos usuários que partilham mais de 50 publicações por dia serão impactados. Apenas os links partilhados por essas pessoas serão afetadas, sem impacto sobre fotografias ou outras publicações.

“O nosso estudo mostrou que há um pequeno grupo de pessoas no Facebook que diariamente partilha uma grande quantidade de publicações, efetivamente enchendo de spam os feeds de outras pessoas” declarou o vice-presidente do Facebook em declarações à imprensa, Adam Mosseri.

O algoritmo por detrás do News Feed determina quais são as publicações de amigos, anunciantes e outras fontes que as pessoas veem e a ordem em que aparecem, dependendo de como os utilizadores responderam a publicações anteriores. O Facebook, que tem atualmente 2 mil milhões de utilizadores ativos mensais, frequentemente ajusta o seu algoritmo e esta é uma mudança que promete apenas melhorar a nossa experiência como navegadores.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *