Home / Consultoria Empresarial /

Tutorial: como elaborar um projeto de investimento?

projeto de investimento

Tutorial: como elaborar um projeto de investimento?

Uma vez que já me fizeram várias vezes a pergunta que dá título ao artigo, senti que estava na hora de escrever um artigo para partilhar com o mundo tudo o que sei sobre projeto de investimento. Sem rodeios alguns, um projeto de investimento é uma proposta de acção que, a partir da utilização dos recursos disponíveis de um projeto, considera possível obter lucros. Estes benefícios, que não são seguros, podem obter-se a curto, médio ou longo prazo.

Se tenciona dar forma a uma das suas ideias no futuro próximo, terá em primeiro lugar de averiguar a viabilidade do seu projeto. Para ser bem-sucedido em implementar um projeto de investimento, é fundamental elaborar um projecto de investimento no início de qualquer projeto que esteja prestes a empreender. Este é o documento que permite analisar a sua ideia e averiguar se é válida ou não, assim como descrever todos os investimentos que exigirá da sua parte.

No final, ao traçar todo um panorama do projeto e dos investimentos de que carece para ganhar forma, será capaz de tomar a decisão que realmente importa: deve ou não avançar com a ideia? Por essa mesma razão, neste artigo explico-lhe como fazer um projeto de investimento.

Tutorial: como elaborar um projeto de investimento?

1 – Entender o mercado

O primeiro passo de qualquer projecto de investimento é a análise de conjuntura, que procura perceber de que forma o projecto pode contribuir para o desenvolvimento do país ou da região onde se vai inserir. Para que tal aconteça, é de extrema importância que conheça a política global de desenvolvimento central e regional do país. Procure obter dados que faça um diagnóstico ao estado da evolução dos setores e tente perceber, acima de tudo, que necessidades precisam de ser suprimidas na área. É a partir de todos estes dados que conseguirá olhar para o seu projeto e perceber até que ponto terá viabilidade na área de actividade onde o pretende integrar.

2 – Recolher informação

A partir do momento em que identifica a área de atividade mais adequada para o seu negócio crescer, chega a altura de começar a preparar a sua ideia para lhe dar forma. Esta é uma etapa que visa principalmente fazer estudos aos requisitos técnicos, económicos e financeiros do projeto para assim perceber de que forma é o projeto viável e se a sua realização será ou não rentável. E o que devem contemplar estes estudos? Respondemos muito rapidamente a essa pergunta: os aspectos comerciais, os aspectos técnicos, os aspectos económicos, os aspectos financeiros, os aspectos jurídicos, os aspectos políticos e o enquadramento institucional. Ao analisar cada uma destas componentes será capaz de delinear diferentes variantes possíveis para um projecto de investimento e conseguir com mais detalhe as despesas necessárias e o retorno de receitas.

3 – Análise financeira e económica

Uma vez reunida então toda a informação chegou o momento de a analisarmos. Esta é, sem dúvida, uma das etapas mais importantes do projeto de investimento. Por isso mesmo, existem duas perspetivas a ter em consideração antes de tomar a decisão: a análise financeira sob o ponto de vista do lucro que a empresa vai alcançar e a análise económica, que tem como objetivo rentabilidade para a colectividade. Falamos de cada uma destas análises nos parágrafos que se seguem.

De um lado temos então a análise financeira sob o ponto de vista da rentabilidade empresarial que, mediante as condições actuais e futuras do projeto, averigua se os capitais investidos são remunerados e reembolsados de forma a que as receitas geradas se tornem superiores às despesas realizadas num período mais ou menos longo de tempo.

Por outro lado temos então a análise económica sob o ponto de vista rentabilidade para a colectividade, conhecida também como análise social ou análise custo-benefício, que é ligeiramente diferente da análise financeira. Esta diferença demarca-se principalmente pelo facto dos dados não serem tratados a preços de mercado mas sim a preços de mercado corrigidos de todas as distorções que alteram o seu valor real. Estas distorções são, por exemplo: as restrições às importações, as taxas de câmbio oficiais, controlo de preços, os incentivos às exportações, etc.

A análise económica de um projecto de investimento processa-se através da comparação entre as receitas e as despesas corrigidas. Com este tipo de análise pretende-se verificar não só a viabilidade técnica e financeira do projecto mas também qual o seu contributo para a economia nacional. Sabendo-se que para a realização de um projecto de investimento teremos que afectar recursos raros, tais como capital e trabalho especializado, convém verificar em que medida a afectação desses recursos raros contribui para o desenvolvimento da economia nacional. Os critérios de análise não diferem em si dos da análise financeira.

4 – Tomar uma decisão

Chegou então a grande hora: tomar a decisão. Uma vez recolhida toda a informação sobre o mercado e o projecto, precisa então de decidir se o projeto é ou não viável. Este é o momento em que aprova ou rejeita o projecto mediante os resultados que obteve. Se os números não jogarem a seu favor e o projecto for realmente rejeitado, o projecto de investimento não perde imediatamente a sua validade. Na verdade, poderá ser usado para uma futura reapreciação do projeto e concretização de novos estudos que visem a sua concretização.

5 – Revisão e execução

A etapa da execução diz respeito à revisão dos estudos técnicos e financeiros que efetuou até agora, tal como o calendário de realização de projectos entre uma série de outros documentos essenciais para dar forma à sua ideia. Esta é a forma correta de obter uma visão detalhada sobre as operações e perceber ainda o tempo que já foi investido no projecto entre a primeira e a quarta etapa, de forma a actualizar os preços dos bens na eventualidade do referido período ter sido bastante longo.

É nesta etapa também que deve pôr em marcha acções que deem forma ao seu projeto: construção civil, montagem de equipamentos, recrutamento e formação de colaboradores, lançamento do sistema de gestão, contratos de funcionamento, etc.

6 – Funcionamento e controlo

A última etapa é contínua e consiste na constante observação e manutenção dos resultados alcançados de forma a perceber se o projecto está a seguir o rumo que planeamos. Como manter então controlo sobre tudo o que se passa com o nosso projecto? Através da verificação do bom cumprimento do calendário de realização dos investimentos, análise dos desvios de funcionamento e a implementação das respectivas acções correctivas.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *