Home / Consultoria Empresarial /

Modelo Canva: o exercício a fazer antes de criar um negócio

Modelo Canva: o exercício a fazer antes de criar um negócio

Qualquer pessoa que esteja a pensar criar um negócio – seja ele digital ou físico, não importa – precisa de realizar um pequeno exercício conhecido como Modelo Canva. Para quem não está familiarizado com o termo, trata-se de uma breve estratégia que procura averiguar se é possível ou não viabilizar uma ideia de negócio, contemplando as suas diferentes facetas e simulando as receitas esperadas assim como os custos necessários para lançar o projeto.

O Modelo Canva assume-se por isso como um mapa visual, pré-formatado, que conta com nove blocos onde poderá organizar diferentes informações sobre a sua ideia e assim obter alguma clarificação visual. Nem sempre o que temos na cabeça, por muito sentido que faça, se torna viável. O mapa do modelo Canva assume-se como uma forma de resumir pontos chave de um plano de negócio.

Este modelo, formulado por Alexander Osterwaler, é bem conhecido e usado por empresas em todo o mundo. Não apenas útil para a criação de uma empresa, poderá ser útil se estiver a pensar fazer um determinado investimento e expansão.

Modelo Canva: o exercício a fazer antes de criar um negócio

modelo canvas

Pegando uma folha em branco, poderá desenhar a tabela acima. Como disse anteriormente, tratam-se de 9 espaços que deve preencher para ter uma melhor noção do seu plano de negócio. Abaixo vou desconstruir cada um dos blocos, dizendo-lhe o que deve preencher em cada um deles.

1 – Segmentação de Clientes

Esta é a resposta básica de qualquer negócio: para quem estamos a vender? Neste quadro deve incluir todas as informações de que tem posse sobre os seus clientes e o segmento que pretende alcançar. Para quem está a criar valor? Quem são os seus principais clientes? E têm algo em comum? O quê? Procure as respostas, informe-se a partir de estudos de mercado e sustente bem este quadro.

2 – Proposta de Valor

Uma vez identificado o cliente, está na altura de perceber o que é que você quer comunicar, certo? Assim, no quadro de propostas de valor, deve incluir todas as informações referente ao seu produto ou serviço. De que forma é que tal produto vai gerar valor na audiência? A que necessidades consegue responder? Qual a vantagem competitiva face a outros concorrentes já instalados no mercado?

3 – Canais

Este é um exercício muito importante porque nos permite perceber como vamos encontrar o caminho que mais facilmente nos leva aos nossos clientes. Aqui deve, então, listar as opções que está a considerar para garantir a distribuição do produto/serviço: distribuidores, grossistas, venda Directa, Internet, Loja(s) Física ou qualquer outro canal de distribuição podem ser considerados e apontados.

4 – Relacionamentos

A relação com o cliente não termina após a compra e deve ser trabalhada com a audiência, mesmo que esta (ainda) não tenha feito uma compra. Por essa razão, o modelo Canva estimula-o a pensar em formas de se relacionar com os clientes. Neste espaço pode definir estratégias para aumentar vendas e manter/reforçar boa relação com clientes, mas também para descobrir necessidades e hábitos dos clientes e definir Estratégias que respondam a este propósito.

5 – Fluxo de Receitas

Traçado todo o panorama que diz respeito ao cliente e à forma como vamos lidar com ele, temos agora de pensar: que dinheiro vai entrar a partir do nosso negócio? Neste quinto espaço deve apontar – e aqui é extremamente necessário que use aproximações factuais e realistas – do dinheiro que vai entrar graças ao seu negócio. Defina, com atenção e cuidado, quanto, como e quando pagarão os clientes pelos seus produtos/serviços.

6 – Recursos-Chave

Passamos então para uma nova área do quadro e começamos logo por falar em recursos. Que recursos são necessários para dar forma ao projeto? Recursos físicos, como por exemplo um espaço para montar a empresa? Recursos humanos, como colaboradores para manter o negócio a funcionar? Recursos financeiros, nos quais se incluem empréstimos bancários ou investimentos? Ou até mesmo recursos intelectuais, como investigação? É necessário que contemple tudo neste quadro e aponte todos os recursos pertinentes.

7 – Atividades-Chave

Quais sãos as atividades, dentro da empresa, essenciais para que o negócio funcione? Vai precisar, por exemplo, de um departamento de marketing ou pode fazer esse trabalho a partir de uma empresa de outsourcing? Precisa de um departamento financeiro? Todas as ações mais importantes para a organização, manutenção e funcionamento do negócio devem ser, uma vez mais, listadas.

8 – Parcerias Chave

Já nos estamos a aproximar do fim e falo-lhe agora de um quadro vital, e que aprecio muito: que parcerias pode fazer com empresas do mercado de forma a cortar certos custos? Imaginemos, por exemplo, que tem uma agência de marketing e assina uma parceria com uma tipografia. Enquanto você faz trabalho de consultoria para a tipografia a um prelo reduzido ou até mesmo gratuitamente, recebe por parte da tipografia um favor semelhante.

9 – Estrutura de Custos

Uma vez detalhados todos os recursos, atividades chave e parcerias, será capaz de listar os custos de cada um para obter uma estimativa dos custos a pagar para avançar com o projeto. Uma vez mais, é importante que considere valores realistas para fazer tal estimativa. Procure na Internet preços, aconselhe-se com profissionais da área e aponte tudo. Um valor que não corresponda à verdade pode resultar na falência da sua empresa e em ruína financeira.

Modelo Canvas: E depois o que fazer?

Após o preenchimento dos 9 blocos dever-se-á rever cada um do blocos, verificar se estão todos em harmonia e fazer a si mesmo algumas perguntas que considero pertinentes:

  1. A minha proposta de Valor dá resposta aos segmentos de clientes?
  2. Os canais escolhidos, asseguram a entrega da proposta de valor?
  3. Os parceiros e fornecedores são capazes de me entregar recursos e actividades do negócio?
  4. As receitas do negócio são suficientes para cobrir os custos?

Se forem detetadas lacunas a estas questões, procure encontrar ideias criativas e diferenciadoras para solucionar o problema e viabilizar o processo.

No fim, não guarde o Modelo Canvas só para si. O Business Model Canvas pode ser impresso numa grande superfície, para gerar a discussão de grupos de pessoas sobre os elementos constitutivos do modelo de negócios recorrendo à utilização de Post-it ou marcadores para quadro branco. Trata-se de uma ferramenta que fomenta a criatividade, análise, discussão e o entendimento/compromisso da equipa de planeamento de negócio.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *