Home / Desenvolvimento de Sites /

Conceitos fundamentais que deve saber antes de fazer um website

fazer um website

Conceitos fundamentais que deve saber antes de fazer um website

Antes de entrar neste universo convém sublinhar que existem ferramentas para quem deseja criar um website para promover o seu negócio na Internet. Essas táticas, informações e conceitos estão reunidos numa área de estudo designada de Marketing Digital.

Sendo uma sub-disciplina do Marketing muito recente, o Marketing Digital congrega várias competências para executar acções concertadas numa nova economia digital. Na verdade, quem está a dar os primeiros passos no sentido de fazer um website, tem de reconhecer que ainda tem muito para aprender nesta área. Mas pelo menos deve ter neste momento algumas noções.

Se vai investir na criação de um website, então terá de lidar com dezenas de diferentes componentes diferentes. Por isso é importante que seja capaz de fazer o mínimo dos mínimos: tenha uma noção de como funciona um site a nível de HTML e CSS (a programação básica), como editar um vídeo, como dominar softwares de edição de imagem, como trabalhar com CMS (Sistemas de Gestão de Conteúdos), entre outros. Estes conhecimentos mais técnicos vão-se provar úteis quase todos os dias.

Como fazer um website: templates vs. desenvolvimento à Medida

É essencial que compreenda estes dois [muito] diferentes conceitos.

Os Templates são trabalhados e comercializados, a maior parte das vezes, por lojas de informática e pequenas empresas de internet. Na verdade, qualquer utilizador mais avançado, estudante ou os chamados “habilidosos”, conseguem montar um site a partir de um template mudando apenas cores, textos, logotipos e imagens a partir dos muitos modelos disponíveis.

Como referido, são sites feitos a partir de Templates (modelos pre-feitos) cujas plataformas mais conhecidas são o WordPress, Joomla, Wix, Prestashop, Magento, etc… Como o próprio nome indica, são sites baseados em modelos pre-feitos comuns e partilhados com milhares de outros websites. Ainda que possam ser personalizáveis, é difícil conseguir que se tenha a imagem, segurança, funcionalidades e ferramentas específicas para o seu negócio.

Uma outra grande desvantagem prática, é o dos seus CMS terem por vezes dezenas ou centenas de opções que, por pertencerem a um modelo geral, estão ali só a ocupar espaço e a tornar o uso da plataforma bastante difícil e complexa de usar, sobretudo se for inexperiente e não tiver recursos humanos dedicados.

A vantagem dos Templates é que são soluções muito baratas. Não havendo disponibilidade de investir em ferramentas capazes de produzir resultados mais rápidos, é sem dúvida uma opção recomendável para quem quer começar a desenvolver a sua estratégia digital.

Do outro lado, existem as grandes agências web que desenvolvem websites e CMS à medida, ou seja, de raiz (do zero) completamente de acordo com as reais necessidades e objectivos de cada cliente. Estes websites profissionais, são desenvolvidos com as mais recentes tecnologias e linguagens de programação e possibilitam o desenvolvimento de ferramentas, por exemplo, de webmarketing, que permitem que o próprio website divulgue praticamente em automático os seus produtos e/ou serviços.

Permitem também a automatização de processos internos e de partilha de informação que levam a maiores níveis de eficiência e até de poupança de recursos. Noutros e-books e artigos deste blog, chamarei a atenção para as imensas outras vantagens destas soluções e dos resultados que produzem, por vezes, em tempos record. A desvantagem deste tipo de soluções é que exigem um maior investimento inicial.

Um website deve ser facilmente mensurável

Não há estratégia sem capacidade analítica! Como tal, uma das competências profissionais mais pedidas a todos os novatos do marketing digital é que sejam capazes não só de aceder aos dados, mas também interpretá-los e encontrar soluções para os problemas que eles nos indicam. Uma das ferramentas principais a dominar é o Google Analytics – plataforma que nos deixa fazer o raio-x de como um site é visto pelos utilizadores. Além destas, há também as Social Analytics, fornecidas pelas várias redes sociais.

As redes sociais são importantes para apoiar um website

Estima-se que mais de metade da população mundial tenha conta criada no Facebook. A esta que é a maior rede social do mundo, acrescem-se outras de igual importância, como o Twitter, o Pinterest, o Instagram e até mesmo o LinkedIn. Não é de admirar que 92% dos profissionais de comunicação, assume as redes sociais como ferramentas primordiais para gerar tráfego. Assim, é crucial que esteja preparado para gerir as redes sociais de modo a trazer retorno de visitantes para o seu website.

Adquira ou melhore as suas competências de escrita

Embora haja uma tendência para a valorização da comunicação multimédia, a verdade é que a maior parte da informação presente na Internet continua a ser texto. Saber escrever é, por isso, uma competência obrigatória e não, não nos referimos apenas a escrever sem erros ortográficos ou gramaticais. Acima de tudo é preciso escrever para quem vai ler, adequando as palavras e os artigos a essas pessoas. No âmbito interno, a escrita é também fundamental para que não haja um desfasamento entre aquilo que queremos dizer e aquilo que os outros percebem.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *