Home / Comércio Eletrónico /

4 erros a não cometer para evitar fraude no e-commerce

evitar fraude

4 erros a não cometer para evitar fraude no e-commerce

Todos aqueles que mantêm lojas online sabem que combater a fraude online não é uma tarefa fácil. Espera-se que o profissional que está por detrás da loja e que se encarrega de todos os mecanismos para a defender faça bom uso do seu tempo para não prejudicar de forma alguma a experiência do seu cliente ou o desempenho da loja virtual.

No entanto, há sempre certos erros que alguns gestores de e-commerce cometem e que hoje quis ressalvar para que não sejam vítimas de fraudes. O artigo não tem o propósito de o assustar ou deixar paranóico acerca de actividade fraudulenta no seu site: tudo o que quero é munir o seu arsenal de defesa com uma série de novos métodos que o deixarão alerta.

Assim, passo então à apresentação e breve descrição de cada um dos erros que não deve cometer se tenciona evitar fraude na sua loja online.

4 erros a não cometer para evitar fraude no e-commerce

1 – Excesso de confiança

A arte de guerra diz-nos que, no que toca a estratégia militar, muitos dos erros fatais são provocados pela fraqueza de certos planos quando uma força confia excessivamente no seu potencial e subestima o adversário. Esta é uma regra que se aplica na perfeição ao tema de vigilância contra fraude online.

Mesmo que acredite que o seu produto não tem valor suficiente de revenda, fique a saber que esse não é o único alvo de actividade fraudulenta. Os clonadores de cartão, por exemplo, são de igual forma uma ameaça e talvez mais grave ainda, uma vez que não têm qualquer interesse nos seus produtos.

Estes criminosos querem apenas usar a sua plataforma de e-commerce para testar os milhares de cartões clonados que adquiriram ilegalmente. Neste tipo de golpe, são realizadas transações de baixo valor apenas para se saber que cartões possuem crédito para ser utilizados em compras de produtos com alto poder de revenda, como por exemplo aparelhos electrónicos e voos.

Assim sendo, presumir que nunca vai ser vítima de fraude é por si só um erro. Caso detectem a incapacidade do seu sistema para se defender deste problema, os testadores de cartões podem realizar milhares de ataques por dia e causar um transtorno considerável no seu negócio.

2 – Não confie apenas nos dados do cliente

Hoje é muito fácil para um clonador de cartões, por exemplo, obter informações pessoais a partir da internet. Muitas vezes, aliás, um cliente legítimo e desatento pode enganar-se na hora de escrever o número do cartão de cidadão enquanto finaliza uma compra.

Um especialista em fraudes não vai cair neste erro. Por isso mesmo, confiar apenas nos dados de um utilizador registado na sua loja online já não é suficiente para a análise de risco.

3 – Subestimar a revisão manual

Na minha opinião, a revisão manual é uma tarefa que deve ser contemplada por todas as lojas online, mesmo que isso implique tempo e recursos. Todavia, em casos nos quais não seja possível reverter uma decisão ou cancelar o envio de um produto, este tipo de revisão permitirá alimentar o sistema com informações importantes e assim detectar padrões de comportamento na loja online.

A tarefa exige rigor e concentração por parte do gestor da página e a decisão de a realizar deve ser estratégica. Caso tal não seja possível, deve fazer o seu melhor para alocar recursos internamente.

Uma revisão manual mal feita pode ter duas consequências igualmente péssimas para a sua loja online: por um lado, pode resultar na recusa de muitos pedidos bons e ter uma diminuição importante nas vendas e, por outro lado, pode empolgar uma venda aparentemente boa, totalmente fora da curva e muito acima do ticket médio da sua loja, e no final sofrer um tombo grande ao descobrir meses mais tarde que aquilo se tratava de uma fraude.

4 – Acreditar que cliente antigo é venda garantida

No comércio electrónico já se tornou impossível garantir que uma transação tenha 100% de hipóteses de ser boa. Porquê? Vamos lá ver: imaginemos que uma encomenda realizada por um cliente antigo tem 99% de hipóteses de ser boa e perfeita, mas haverá sempre 1% que pode correr mal.

Não estamos a querer dizer necessariamente que um cliente leal de repente se voltará contra si para cometer fraude. Contudo, a verdade é uma: num mundo completamente volátil como aquele onde vivemos, o comércio electrónico nunca está à prova de fraude. Uma senha pode ser roubada. Um cartão de crédito pode ser clonado. Qualquer coisa pode acontecer que faz com que um cliente com bom perfil se possa virar contra si.

E isto leva-nos a um dos maiores problemas do e-commerce: nunca sabemos quem está realmente do outro lado do ecrã.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *