Home / Marketing de Conteúdo /

Marketing de Conteúdo: o segredo está em atribuir valor

conteúdo

Marketing de Conteúdo: o segredo está em atribuir valor

No blog Ecossistema Digital já falei anteriormente sobre o potencial do marketing de conteúdo e a forma como consegue educar os consumidores acerca de um determinado produto ou serviço, preparando-os dessa forma para a compra.

Por todo o mundo, há cada vez mais empresas a reconhecer este mesmo potencial e a voltarem-se para o marketing de conteúdo para crescer. Os potenciais clientes encontram o conteúdo, reconhecem nele valor e, no momento em que entram em contacto com a marca, já estão convencidos de que querem avançar com a compra.

A marca deixa de se envolver em táticas de vendas de alta pressão. A confiança que geralmente precisa de ser acumulada durante um extenso ciclo de vendas já foi criada antes de sabermos que o potencial cliente existe.

O retorno do investimento para o marketing (ROMI) de conteúdo pode ser fenomenal se executado corretamente. O marketing de conteúdo também oferece benefícios adicionais na medida em que suporta outros canais de marketing digital. Ao fornecer conteúdo adicional ao marketing de redes sociais, estará a contribuir para os esforços de SEO, gerando links de entrada naturais e criando bons conteúdos no seu site que serão encontrados nos motores de pesquisa.

Como começar a fazer Marketing de Conteúdo?

Existem muitas empresas que oferecem serviços de marketing de conteúdo, muitas vezes emparelhados com serviços de SEO. Se está simplesmente ocupado demais para produzir conteúdos e não está pronto para os gerir internamente, então a contratação de uma empresa pode ser a sua melhor opção. Mas se quiser entrar neste mercado e fazer o seu próprio marketing de conteúdo, a maneira mais fácil passa por criar um blog.

Provavelmente será difícil no início, mas quanto mais você fizer, mais sucesso terá. Seguindo dicas de sites e especialistas no assunto, conseguirá aprender rapidamente a criar conteúdo para o seu site ou blog que envolverá os leitores e os transformará em clientes. Mas, embora a escrita tecnicamente boa e os títulos certos possam ajudar, esta não é necessariamente a chave para criar um ótimo conteúdo.

O conteúdo de uma marca é bom se estas estiverem realmente dispostas a pagar para o consumir. Se quiser ver bons exemplos de conteúdo, basta ver o que pagou para ler, assistir ou ouvir ultimamente. Se viu o filme The Lego Movie, então posso dizer-lhe com toda a certeza que viu um dos maiores exemplos de marketing de conteúdo até à data.

Mais do que contar uma história, o filme usa entretenimento puro, durante cerca de 100 minutos, para promover o seu variado catálogo de brinquedos. Claro está que esta não é uma estratégia para todos. Muito provavelmente, não dispõe do orçamento necessário para  fazer um longa-metragem e dessa forma promover a sua empresa, mas a verdade é que ainda pode oferecer aos potenciais clientes informações valiosas.

O segredo que estou sempre a partilhar com os meus clientes resume-se a uma palavra: valor. É isto que distingue o Marketing de Conteúdo. Se o conteúdo não tiver valor, então esqueça, não passa de “palha”.

Basta olharmos à nossa volta para encontrarmos determinados tipos de conteúdo como, por exemplo, anúncios publicitários que têm valor. Numa realidade onde a publicidade se assume cada vez mais como um incómodo e onde é possível contorná-la com plugins como AdBlock ou passando à frente os anúncios televisivos, torna-se premente criar conteúdo valioso. Conteúdo pelo qual o consumidor estaria até disposto a pagar para consumir.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *